Estou com Hérnia de Disco Lombar e agora?


Estou com hérnia de disco lombar e agora?

A hérnia discal lombar é o diagnóstico mais comum dentre as alterações degenerativas da coluna lombar (acomete 2 a 3% da população). O quadro clínico típico inclui lombalgia inicial, seguida de lombociatalgia (é o sintoma no qual o paciente refere dor em região lombar associado a irradiação para o(s) membro(s) inferior(es)) e, finalmente, de dor ciática pura. A história natural da hérnia de disco é de resolução rápida dos sintomas (quatro a seis semanas). O tratamento inicial deve ser conservador. O tratamento cirúrgico está indicado na falha do controle da dor, déficit motor maior que grau 3, dor radicular associada à estenose óssea foraminal ou síndrome de cauda equina, sendo esta última uma emergência médica.
(*Rev. bras. ortop. vol.45 no.1 São Paulo  2010).

A hérnia discal lombar consiste de um deslocamento do conteúdo do disco intervertebral – o núcleo pulposo – através de sua membrana externa, o ânulo fibroso, geralmente em sua região posterolateral. Dependendo do volume de material herniado, poderá haver compressão e irritação das raízes lombares, representadas clinicamente pela dor conhecida como ciática. Essa dor é conhecida desde a Antiguidade, mas a sua relação com a hérnia discal não foi descoberta até o início do século 20, por Mixter e BarrAtualmente, a hérnia discal lombar é o diagnóstico mais comum dentre as alterações degenerativas da coluna lombar. 

A hérnia discal ocorre principalmente entre a quarta e quinta décadas de vida (idade média de 37 anos), apesar de ser descrita em todas as faixas etárias. Estima-se que 2 a 3% da população possam ser afetados, com prevalência de 4,8% em homens e 2,5% em mulheres, acima de 35 anos.

Por ser tão comum, chega a ser considerada um problema de saúde mundial, em decorrência de incapacidade que gera.

Na ressonância magnética, a hérnia é classificada segundo sua forma. Essa descrição morfológica é a seguinte, de forma resumida. O material discal, proveniente principalmente do núcleo pulposo, está deslocado para fora dos limites intervertebrais, podendo tomar três formas diferentes: protrusão, extrusão ou sequestro. A imagem abaixo ilustra bem as três diferentes forma da hérnia.

Protrusão é quando a distância da altura da hérnia é menor que a distância da base em qualquer um dos planos. Extrusão é quando a distância da base é menor que a altura da hérnia, e Sequestro, quando não há continuidade entre o material herniado e o disco intervertebral.

A hérnia de disco lombar é uma condição que apresenta natureza benigna; a finalidade do tratamento é aliviar a dor, estimular a recuperação neurológica, com retorno precoce às atividades da vida diária e ao trabalho. Pacientes com hérnias sequestradas, jovens, com leve déficit neurológico, hérnias pequenas, pouca degeneração discal, seriam os que melhor se beneficiariam do tratamento conservador (referência). A crise de ciática pode ser tão severa a ponto de incapacitar o paciente e, nesse momento, o tratamento deve reduzir gradativamente a dor e aumentar a atividade física, evitando o repouso absoluto.

O tratamento conservador é eficaz em 80% dos pacientes, dentro de quatro a seis semanas. Nesta modalidade, o tratamento de  pode ser conduzido por um(a) Fisioterapeuta e/ou Profissional de Educação Física capacitado(a). Exercícios de alongamento e relaxamento são indicados nestes casos. Assim como o fortalecimento da região central do corpo (CORE), a fim de aumentar a resistência dos músculos que dão suporte a coluna vertebral (com ênfase na região lombar). Em muitos casos o Profissional de Saúde indica exercícios de musculação, mas esquecem de avisar que algumas posições são tão prejudiciais para o paciente, e que o melhor seria ficar sem fazer nada.

Vamos entender um pouco mais estas posições. Na imagem abaixo temos a compressão discal nas diversas posturas e posição do corpo. Note que para cada um existe um percentual de compressão diferente na região lombar.

A posição de sentado aumenta em 275% (duzentos e setenta e cinco por cento) a pressão discal lombar, então seria interessante aos pacientes que evitassem esta posição até mesmo no momento da sua prática de atividade física. Posições de deitado e em pé, seriam realmente as melhores e mais conservadoras. Ou seja, a atividade física sentada, o que geralmente acontece quando sentamos nas máquinas é a que é menos indicada para estes pacientes, ainda mais quando estão em crise.

Evite o repouso

“O repouso absoluto é absolutamente contraindicado em pessoas que tem hérnia de disco”. De acordo com o especialista, ao ficar em repouso tanto na fase aguda quando na crônica, o risco de incapacidade aumenta – ou seja, a dor pode voltar ainda mais forte quando a pessoa voltar as suas atividades, ou então nem mesmo cessar com o repouso. É importante que a pessoa não seja afastada do trabalho e continue fazendo suas atividades normalmente, respeitando os limites da dor. “A partir do momento em que ficamos parados a musculatura não trabalha, inclusive a coluna. Por isso, quanto mais repouso maior a atrofia ou hipotrofia muscular, fator que pode agravar a dor.”

Mudanças cotidianas

Não há qualquer restrição de movimento para o paciente com hérnia de disco. Isso quer dizer que ele deve fazer suas atividades normalmente, dentro dos seus limites – se a dor fica mais forte quando a pessoa abaixa para pegar algo no chão, por exemplo, o ideal é ir com mais calma ou então evitar fazer esse movimento com frequência. No entanto, algumas medidas devem ser adotadas para reduzir a pressão sobre a coluna, consequentemente reduzindo a dor. “Passar muito tempo agachado, usar salto alto e ficar sentado por longos períodos são atitudes que devem ser evitadas no paciente com hérnia de disco”.

 

Nas rotinas de trenamento do Semeare, os alunos acometidos por hérnias discais tem um tratamento diferenciado individualizado, passando por rotinas de relaxamento muscular, diminuição da tensão, alongamentos, fortalecimentos das regiões importantes adjacentes à hérnia. Temos tido bons resultados com nossa metodologia. Mais uma vez reiteramos a necessidade de observar a posição que se treina, nestes casos, isso é de suma importância. No vídeo abaixo uma demonstração mais clara sobre o assunto.

 

 

Um outro vídeo bem interessante para demonstrar a dor lombar baixa.

 

Marque três aulas experimentais conosco gratuitas clicando aqui

Semeare Team, desde 2004 realizando sonhos.


Sobre admin

Centro de Treinamento Físico Semeare. Fundado em 2004 somos um centro de atividade voltado ao movimento. Treinamento Integrado, Kettlebell Training, Avaliação Funcional do Movimento. Treine diferente, mas treine com qualidade. Salvador-BA

Deixe um comentário